segunda-feira, 10 de outubro de 2011

PROFESSORES DAS ESCOLAS ESTUDAIS SUSPENDEM GREVE POR 30 DIAS

Na tarde da sexta-feira passada, a Assembleia Geral de Professores das escolas estudais votou pela suspensão da greve por de 30 dias. A decisão ocorreu após três reuniões com o Governo em que foram estabelecidos alguns pontos para a aplicação da Lei do Piso dos Professores e a implantação de um novo Plano de Cargos e Carreiras. A principal reivindicação dos professores é que o novo plano garanta melhorias para todos os professores, incluindo aqueles com especialização, mestrado e doutorado. A proposta inicial de Cid Gomes beneficiava apenas os professores em início de carreira e prejudicava a carreira dos professores; tanto que a proposta apresentada por ele foi chamada de "tabela maldita".
A Assembleia foi realizada no Ginásio Paulo Sarasate (em Fortaleza) e ocorreu em clima de grande tensão. Após o covarde espancamento de professores na Assembleia Legislativa dia 30 de setembro, a revolta dos professores e da sociedade contra o Governo foi enorme. Muitos professores se recusaram a suspender a greve sem garantias de um bom Plano. Outros defenderam que por causa da ilegalidade da greve, decretada pela justiça, das ameaças do governo e do cansaço dos grevistas, era preciso "dar um tempo" para negociar. 
A votação foi realizada com os professores levantando seus crachás. Foi impossível ter certeza sobre quem havia ganhado, se a suspensão ou a continuidade da greve. Apesar disso, o comando da Assembleia se recusou a contar os votos e declarou vitoriosa a suspensão. A confusão que se seguiu foi enorme.
Prof. Ruy Gondim
10 de outubro de 2011

Reações:

0 comentários: